VIAJAR ENRIQUECE A VIDA E DURA PARA SEMPRE!

Bem-vindo ao blog da caravana para a Irlanda com a Eddie Van Feu, escritora anarquista e bruxa wiccana. Aqui você curte as dicas para viajar para essa terra mágica e fica por dentro da próxima viagem: ESCÓCIA E IRLANDA 2017! Conheça o roteiro completo AQUI! Para informações gerais ou entrar na mala direta da viagem, mande um e-mail: suporte@eddievanfeu.com.



quarta-feira, 30 de junho de 2010

Vidas passadas na Irlanda

Em agosto de 2010, vamos passar por lugares que nossas almas reconhecem. Muitas pessoas têm me dito e escrito que o coração se acelera quando ouvem falar da viagem para a Irlanda, e que chegam a ter sonhos e visões. Comigo não é diferente. Às vezes, eu tento deixar pra lá, fingir que não é grande coisa, diminuir a ansiedade. Afinal, me perdoem os outros países, mas o Brasil é lindo demais e - me perdoem os outros Estados - o Rio de Janeiro continua lindo. Vejo aquelas paisagens todas e tento me convencer de que não é tããão bonito assim... Ledo engano! É lindo, sim!!! E é diferente! E, sim, eu estou louca pra ir, como se ouvisse um chamado de séculos atrás, como se algo impressionante e muito importante me aguardasse. Aí eu me deparo com um vídeo como esse. Faça o exercício que eu acabei de fazer e me diga se não rola uma coisa estranha, como se saíssemos do corpo! Apague a luz, expanda a imagem clicando nesse quadradinho à direita e relaxe. Concentre-se apenas nas imagens e deixe-se sentir. Só isso. Quando terminar, me conta como foi (tem um muralzinho aí do lado ou pode deixar um comentário). Difícil acreditar que essas pessoas que estão se unindo para essa viagem não tenham tido uma vida passada entre druidas e sacerdotisas irlandeses... E impossível acreditar que pisar nessas terras não vá mudar cada um de nós.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Solstício de Inverno em Newgrange


Dia 21 de junho, tivemos o Yule, o Solstício de Inverno, um dos principais sabats na wicca. Na Roda Norte, ele é celebrado dia 21 de dezembro (com pequenas variações de acordo com a mudança de estação).

O Yule (também dia do Natal e do Hanukkah, o Festival das Luzes) é um dos quatro pequenos sabats. Nele, celebramos o renascimento do Sol e homenageamos o Deus Cornífero, ou o Deus Sol, consorte da Deusa Mãe, representada pela Lua. É a noite mais longa do ano, uma preparação para a vinda da luz. É tempo de analisar as conquistas do último ano e celebrar as vitórias com amigos e família. Primeiro dia do inverno, o Yule correspondia com a Saturnália Romana (que ia de 17 a 24 de dezembro). É o dia em que a Deusa dá a luz ao Deus Sol. Muitas das tradições do Natal cristão vieram das comemorações do Yule.



Newgrange é uma de nossas paradas na viagem para a Irlanda e é um lugar de grande poder mágico, comparado a Stonehenge. Esta tumba megalítica foi construída por volta de 3200 a.C. e cobre uma área superior a um acre, cercada por 97 kerbstones, alguns deles são ricamente decorados com arte megalítica. A passagem interna de 19 metros nos leva a uma câmara cruciforme, acredita-se que esta obra demorou por volta de 20 anos para ser construída e consumiu mão-de-obra de 300 homens. A passagem e a câmara são iluminados pelo sol de inverno. Um eixo de luz brilha através da caixa do telhado, penetrando na passagem para assim iluminar a câmara. Neste local sagrado, realizaremos um Ritual de Descoberta da sua Missão Pessoal e recados dos Antepassados. O vídeo a seguir mostra um pouco mais desse local mágico. É impressionante como mesmo em vídeo, já podemos sentir a alma se agitar.


segunda-feira, 28 de junho de 2010

Cervejada na Irlanda

Você se lembra daquele sorvete lindo do post anterior? É uma criação do chefe australiano Greigor Caisley, proprietário do Drake´s Bar & Deck e profundo conhecedor de cervejas. Num dia quente de 2006, teve uma deliciosa epifania e criou uma sobremesa que se tornou uma das grandes atrações do Drake’s, o sorvete de cerveja Guinness. Guardada em segredo pelo chef Greigor, a receita confere à tradicional sobremesa gelada o paladar da cerveja em uma combinação harmônica de sabor inigualável.



Exclusivo do Drake´s, o Guinness Ice Cream tem um sabor levemente amargo, como o café, pois é elaborado com cerveja tipo Stout, da irlandesa Guinness, uma bebida suave, rica, com toque de lúpulo queimado e características de malte. Contém ainda notas carameladas assegurando excelente paladar. O toque final é uma calda também elaborada com Stout, acompanhada de farofa. Uma deliciosa sobremesa para o verão, que pode ser degustada no aprazível e relaxante deck do Drake’s, cercado de plantas típicas brasileiras, cascatas e espelhos d’àgua, um verdadeiro oásis urbano na metrópole paulistana.

Drake´S Bar & Deck
www.drakesbar.com

Na nossa viagem à Irlanda, a cervejaria Guinness está no roteiro. A Cervejaria Guiness em Dublin é a maior fabrica de cerveja de malte da Europa e casa da Guiness Storehouse. Aberta em 1904 possui uma planta operacional para fermentação e estocagem da Guiness. Os visitantes descobrirão como se faz uma Guiness, os ingredientes, o processo, o tempo, o oficio e a paixão. A apresentação mostra ainda como foi introduzida no mercado e como hoje é vendida em mais de 150 países. A visita acaba no sétimo andar, no chamado “Gravity Bar”, para experimentar em primeira-mão o elixir da vida, a Guiness. No local há ainda uma loja para lembranças, galeria e área de exibições, um restaurante e dois bares.

Particularmente, eu não gosto de cerveja. Na verdade, não gosto de nada amargo e isso inclui um monte de bebidas alcoólicas. Quando bebo, o que é raro, é só uma Malzbier, mas o mais comum é me ver agarrada a um copo de Coca-Cola geladinha que combina com tudo. No nosso roteiro, você deve ter notado que tinha notas pedindo para não beber porque teríamos ritual no dia ou no dia seguinte. Na verdade, pode beber, sim. Excetuando um ou outro ritual, todos podem beber. O que não pode é encher a cara, sair dançando com poste, chamando urubu de meu leprechaun, essas coisas. Então, se você é chegado numa bebida, pode molhar o bico!

Ah! E tem o Baileys, o melhor licor do mundo que eu já representei nos meus tempos de demonstradora em que eu vendia aquilo que nem água! Também, com um produto desses! Quem não ia vender? Mas depois eu falo mais do Baileys!

Agora, se o seu negócio é doce, e você ficou aguado porque não tem a receita do sorvete de cerveja, adoce a boca com essa receita aqui:


Sorvete de Cerveja Escura

da chef Luciana Godoy, do Espaço Gourmet Gastronomia


Ingredientes:

150 ml de leite

500 ml de creme de leite fresco

7 gemas

150 g de açúcar

1 fava de baunilha partida e raspada

1 cerveja tipo pale ale (440 ml)


Em uma panela, ferva o leite e o creme de leite. Coloque a fava e as sementes de baunilha e deixe curtir por 30 minutos, criando uma infusão. Coe. Em um pote, bata vigorosamente as gemas e o açúcar, até ficar em tom amarelo bem pálido. Despeje o leite aromatizado aos poucos, sempre mexendo com o fouet, para temperar as gemas e o açúcar. Após adicionar todo o leite, volte toda a mistura para uma panela e cozinhe até 83 graus C ou no nappé (ponto que se observa nas costas de uma colher de pau coberta com a mistura, deixando um traço que não se desmancha ao passar o dedo). Deixe a panela esfriar imediatamente dentro de um recipiente com água e gelo. Em outra panela, reduza a cerveja em fogo brando, até que fique com somente metade do volume original. Esfrie e então misture à receita a base de sorvete. Leve à máquina de sorvete conforme instruções do fabricante.




domingo, 27 de junho de 2010

COMO SE PRECAVER CONTRA OS LEPRECHAUNS - parte II

por Renato Rodrigues

Mais um vez eu venho aqui avisar aos incautos sobre o leprechaun, ou Duende, se preferirem.
Você verá, no documentário abaixo, a história verídica de um pobre coitado que encontrou um leprechaum... e nunca mais foi visto... A não ser nas reprises da TV, claro.


sexta-feira, 25 de junho de 2010

Bênçãos a todos, irlandeses ou não

Uma vista da cidade de Cork. Bonitinha, não?

A bênção irlandesa é linda e todos conhecem ao menos um trecho. Segue uma bonita tradução de uma bênção para você usar para todos que cruzarem seu caminho. Ah! Antes disso, uma curiosidade! Sabia que a Irlanda é conhecida como a Ilha Esmeralda, por causa do seu verde estonteante, em virtude das chuvas constantes. Eis aí um detalhe dessa viagem! Lá chove. Segundo dizem, constantemente. Nós vamos no fim do verão, então podemos contar com um pouco de céu azul. Pedirei ajuda aos silfos das nuvens e aos dragões, claro, pra gente aproveitar tudo em céu claro e estrelado (embora eu também ame as nuvens). Darei a receita daquela sobremesa pecaminosa no próximo post! Por hora, vamos curtir belas imagens e viajar nessa bênção igualmente bela!



Gente! Que lugar indecentemente belo!!! Esse vídeo traz imagens de algumas das cidades que visitaremos, como Dublin, Cork, Galway e Limerick, incluindo pubs, o museu de James Joyce (falarei dele em breve) e o Festival de São Patrício, que não iremos porque é realizado numa outra época. Aqui dá pra ver cenas das cidades propriamente ditas e não somente das paisagens. Dá ou não dá vontade de tocar na tela! Eu me flagrei numa situação meio ridícula aqui. Além de tentar tocar a tela em alguns momentos, eu acenei de volta quando uns turistas passaram acenando pra câmera! Isso é que é vontade de ir! E nossos passaportes ficaram prontos ontem!!! Yupiiiiiiii!!!!!!

Olha a Universitade de Cork! Nossa! Já imaginou estudar todo dia aí?

Bençãos Irlandesas

Que estradas apareçam indicando o destino
Que o vento sempre impulsione seus passos
Que o sol brilhe sempre em suas aspirações
Que a chuva se precipite, gentilmente, sobre sua lavoura
E, até que nos encontremos novamente,
Possa você estar amparado pela mão do Senhor!

Que você possa estar no Céu meia hora
Antes do Diabo perceber que você desencarnou


Que tenha uma parede para guardar-se do vento
Um teto para se proteger da chuva
Uma fogueira, bebidas e o riso fácil das coisas simples
Que aqueles que ama sempre estejam próximos
Que alcance tudo o que seu coração desejar.

Que você seja sempre indigente....em problemas,
Mas farto em graças
Tão lento em fazer inimigos,
Quanto mais rápido em estabelecer amizades
Que mesmo sendo rico ou pobre, rápido ou lerdo
Possa produzir apenas Felicidade
De hoje em diante!

Que seus bolsos estejam plenos
Bem como seu coração, leve
Que a Boa Sorte o persiga sempre
Em cada manhã e a cada pôr-do-sol!

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Entrando no clima!

É hora de começarmos a ir para a Irlanda. Eventualmente, eu sinto que me desequilibro (sem piadas!) e parece que vou cair. Nessa fração de segundo, eu sinto o clima, o cheiro, as pedras, os castelos... Faço um desdobramento, meu espírito sai e me revela um relance dessa viagem que promete amplicar nossa experiência mística e espiritual. Por isso, comecei a viajar pela Irlanda com a Internet, e achei esse clip fantástico que pode ser um bom exercício para sentir esse lugar maravilhoso. Então, aproveite! Aparecerei com novidades todos os dias até a gente ir. E quem sabe, até a gente voltar!



E o que esperar quando nos sentarmos à mesa?

É bom que estejamos pronto para a culinária típica da Irlanda para não tomarmos um susto. Vale lembrar que o Brasil se alimenta muito bem, apesar de ainda termos muito o que aprender. Estamos acostumados com frutas, saladas, cerveja e tudo o mais. Mas o que será que um irlandês come? Trevos? Leprechauns? Dê uma lida nessa matéria que catei da Wikipédia e comece a preparar seu corpo! Eu já vou começar uma ginástica! Senão voltarei rolando de lá! E É RUIM de eu não comer que nem uma louca lá, hein!!!

A culinária irlandesa pode ser dividida em duas categorias principais: tradicional, composta basicamente de pratos simples; e pratos mais modernos, como os servidos em restaurantes e hotéis. O colcannon é um saboroso prato feito com batatas e um tipo de alho silvestre, repolho ou couve-de-folhas, parecido com o bubble and squeak. O champ é feito com purê de batata misturado com cebolinha-verde picada.

Este é um Lamb stew, uma espécie de guisado de carneiro com batatas. Parecem bom!

Outros exemplos de pratos irlandeses simples são: o Irish stew(guisado irlandês), e também bacon e repolho (cozidos juntos na água). O boxty, um tipo de panqueca de batata, é outro prato tradicional irlandês. Um prato típico de Dublin é o coddle, onde um dos ingredientes é salsicha de porco cozida.

Acho que eles curtem uma carne, mas tem bastante frutos do mar e salmão pra quem prefere carne branca!

A Irlanda é famosa pelo seu breakfast irlandês, uma refeição frita (ou grelhada) geralmente constituída de bacon, ovos, salsicha, morcela preta e branca, tomates fritos e pode também ser incluído pão de batatas ou batatas fritas à francesa.

Este é um prato típico, o Mullingan, um prato típico com cordeiro. Acho.


Enquanto os frutos do mar sempre foram consumidos pelos irlandeses, comidas com moluscos e crustáceos foram sendo incorporados recentemente, especialmente por causa da alta qualidade desses produtos disponíveis na costa da Irlanda, p.ex. Dublin Bay Prawn (camarões noruegueses), ostras (muitos festivais de ostras acontecem anualmente por toda a costa onde as ostras são servidas com Guinness (cerveja irlandesa), o mais famoso ocorre em Galway no mês de setembro) assim como outros crustáceos. Salmão e bacalhau são dois tipos de peixes comumente usados.

Alguns dos pães irlandeses tradicionais são: soda bread (pão que utiliza o bicarbonato de sódio como ingrediente), pães de trigo, soda farls, e blaa, um pãozinho típico de Waterford.

Nossa! Já estou com fome! E o que será que eles têm pra sobremesa? Saiba no próximo post!