VIAJAR ENRIQUECE A VIDA E DURA PARA SEMPRE!

Bem-vindo ao blog da caravana para a Irlanda com a Eddie Van Feu, escritora anarquista e bruxa wiccana. Aqui você curte as dicas para viajar para essa terra mágica e fica por dentro da próxima viagem: ESCÓCIA E IRLANDA 2017! Conheça o roteiro completo AQUI! Para informações gerais ou entrar na mala direta da viagem, mande um e-mail: suporte@eddievanfeu.com.



sábado, 31 de julho de 2010

Houston, temos um problema....


É muito difícil escrever isso. Precisei de algum tempo pra poder falar do assunto sem chorar, então me perdoem o silêncio dos últimos três dias. Nossa viagem para a Irlanda sofreu um revés inesperado. Pessoas que já estavam certas, em cima da hora desmarcaram por problemas pessoais (doença em família e problemas financeiros). Com isso, o grupo que já estava fechado desde a semana passada, ficou menor do que o número necessário para as companhias aéreas. Isso aumentaria demais o custo, segundo a explicação da Abbatour. A notícia me pegou de surpresa, já que estava tudo certo e tentei por dois dias encontrar uma solução. Abri mão do meu pró labore, mas ele era pequeno demais comparado ao montante que a companhia ia ter que pagar de cota extra. A Abbatour cogitou colocar na minha conta e cobrar de trabalhos futuros e eu topei (endividade por um, endividada por mil), mas vulcões e terremotos nesse primeiro semestre deixaram as agências de turismo em alerta e eles preferiram não assumir esse risco. Depois de tudo ter sido tentado, não tinha mais solução e nossa viagem para a Irlanda foi cancelada.


No começo, veio a raiva. Nossa! Fiquei muito zangada com o Universo, com a Divindade e com as Vozes. Afinal, essa viagem apareceu antes da proposta da Abbatour e me foi dito que era um passo importante, não só para mim, mas para as pessoas que iam. Vivi e respirei a história da Irlanda durante todo esse ano e achei impossível que TODOS os oráculos que consultei, incluindo entidades em terra através de médiuns, pudessem errar tão redondamente. Tudo que sei, é que algo aconteceu para mudar o que já estava escrito, mas não me perguntem o que as Vozes disseram, porque eu desliguei o telefone na cara delas. Sim, fiquei revoltada e decepcionada e, no momento, não quero papo com elas.


Depois da raiva, veio a depressão. Não pensei que uma coisa assim pudesse me atingir tanto, mas atingiu. Fiquei profundamente deprimida, chorei no travesseiro e só faltou ajoelhar na chuva e gritar para os céus "PORQUÊÊÊÊÊ???"
Aí, veio a aceitação, que não excluiu a depressão, que continua firme e forte aqui do meu lado. Essa foi a hora em que liguei para as pessoas que iam. A Abbatour tinha essa tarefa, mas eu me sinto responsável por essas pessoas e queria falar com cada uma sobre isso. São muitas, então devo terminar amanhã de falar com todas. Para minha surpresa, falar com elas me fez sentir um pouco melhor. Acho que a desgraça gosta de companhia! Por mais que as pessoas próximas de mim tenham ficado chateadas e dito "Que pena! Mas ano que vem você vai!", elas não entendiam essa minha dor! E eu comecei a me achar maluca e mimada, fazendo tempestade em copo d'água. Afinal, o que é uma simples viagem cancelada perto de gente que perdeu a casa, perdeu entes queridos, perdeu a saúde, o amor de sua vida ou o emprego? Mas a desgraça alheia não me consola, e foi somente falando com pessoas que vivenciaram essa decepção que comecei a entender que não estava sozinha. Na verdade, a dor nos uniu.


Bom, eu podia ter contado uma outra história aqui. Poderia ter feito uma montagem com a gente em fotos da Irlanda, ficar trancada em casa por 20 dias, e dizer que a gente foi! Mas eu não sou boa com esse jogo. Lembro que quando jogava pôquer, só ganhava roubando... Quando eu acordava no dia seguinda, caíam um monte de azes da minha roupa... Nunca fui boa em fingir, mentir ou dissimular. Por isso estou contanto a verdade para vocês e para as pessoas que iam comigo.


Enquanto eu ainda estava amargando a depressão, a Abbatour ligou e fez uma nova proposta. Ao invés de cancelar, passariam a viagem para maio. Não é tão longe e cai na primavera. As Vozes imediatamente falaram que seria ótimo para os rituais. Eu as mandei calar a boca.
Bom ainda estou triste e zangada, mas a idéia não é ruim. Muita gente queria ir, mas não podia neste ano. Então, pode ser a oportunidade de irmos em maior número. Vou deixar meu coração cicatrizar um pouco antes de tomar uma decisão final, pois não é sábio tomar qualquer decisão num estado alterado como o meu (especialmente agora, quando eu acho que tudo vai dar errado sempre e nada vale a pena).


Enquanto isso, só me resta pedir desculpas às pessoas que sonharam junto comigo, que esperaram o conhecimento que eu traria de lá e que, de certa forma, viajariam conosco através dos livros, revistas e DVDs que adviriam dessa experiência. Pronto. Agora já posso voltar para meu travesseiro... Assim que conseguir sair do fundo do poço da melancolia, volto para dizer o que ficou decidido.

Um comentário:

  1. Eu não imaginava que era isso. Sinto muito, por todos vocês que iam!
    Um grande beijo e um abraço beeem apertado.

    ResponderExcluir